Visualizações de página do mês passado

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Miguel Nicolelis avança em tratamento para mal de Parkinson | EXAME.com

São Paulo – Uma equipe de cientistas liderada pelo neurologista brasileiro Miguel Nicolelis e pelo pesquisador chileno Romulo Fuentes fez grandes avanços na busca de um possível tratamento para o mal de Parkinson. Os primeiros testes, realizados com saguis, mostraram bons resultados e o conteúdo foi publicado hoje em um artigo na revista científica Neuron.
As pesquisas foram realizadas no Centro de Primatas do Instituto Internacional de Neurociência de Natal Edmond e Lily Safra (IINNELS), na capital do Rio Grande do Norte. O novo tratamento detalhado no artigo é a estimulação epidural de medula espinhal (EEMS).
A nova técnica seria uma opção à estimulação cerebral profunda (ECP). Esse procedimento depende de uma cirurgia que dura algumas horas. Por conta disso, ele não pode ser usado no tratamento de boa parte dos pacientes que sofrem de Parkinson.
Um artigo em 2009, assinado pelos mesmos pesquisadores, já descrevia testes em roedores. De acordo com um comunicado, mais de 50 pacientes com Parkinson já se beneficiaram dos primeiros tratamentos usando o método de EEMS.
Fonte : Miguel Nicolelis avança em tratamento para mal de Parkinson | EXAME.com

Exercício físico: processo inflamatório e adaptação | Vida de Qualidade

A inflamação, ou o processo inflamatório caracteriza-se como uma resposta natural de defesa do nosso corpo, contra uma infeção ou lesão, com o objetivo de eliminar os agentes invasores.
As causas da inflamação podem ser bactérias, vírus ou parasitas, veneno, exposição prolongada ao sol, ou às radiações e ainda traumatismos, como a quebra de um osso. Este processo faz parte do nossosistema imunológico.
As nossas células do sistema imunológico estão amplamente espalhadas por todo o corpo, no entanto, quando há um processo infeccioso, essas células e os seus produtos se concentram no local infectado para amenizar os danos causados pelo organismo invasor. Este processo se caracteriza pela inflamação, ou processo inflamatório, e é caracterizada por três principais etapas: a primeira é um aumento do suprimento sanguíneo no local afetado; a segunda é o aumento da permeabilidade das células capilares, que ocorre devido a retração das células endotelial, permitindo assim que os mediadores solúveis da imunidade consigam chegar a área atingida; e a terceira é a migração dos leucócitos e dos capilares para os tecidos circundantes da área, impedindo assim o alastramento da infecção.
A sobrecarga, proveniente dos exercícios físicos, provoca micro traumas de diferentes graus tanto no tecido muscular, como no tecido ósseo e no tecido conjuntivo. Esses pequenos traumas podem ser considerados apenas danos temporários e reparáveis, uma vez que são resultado de uma resposta inflamatória aguda, por agentes que têm como principal função a limpeza, o reparo e o desenvolvimento dos tecidos que foram danificados.

BOM DIA AMIGOS E AMIGAS DO BLOG - CAMPANHA - Asas do Bem, com Drauzio Varella!!!

PACIENTES COM DOENÇA DE PARKINSON NO ES SÃO TRATADOS COM 'GAMETERAPIA'

Proposta de estudante é usar videogame, fazendo com que se movimentem.
Além de ajudar na coordenação motora, tratamento diverte o paciente.


Videogame auxilia pacientes com a doença 
(Foto: Reprodução/ TV Gazeta)
Um projeto de iniciação científica do curso de fisioterapia de uma faculdade em Vitória  usa a tecnologia de entretenimento para trabalhar a recuperação de pacientes com doença de parkinson. Segundo os professores, atualmente, o projeto trabalha experimentando como a 'gameterapia' - terapia através de jogos de videogame - pode auxiliar na melhoria do equilíbrio do paciente que tem a doença.

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Estudo confirma eficácia de novo tratamento para Parkinson - Tribuna do Norte

Um estudo em saguis, realizado pela equipe do Centro de Primatas do Instituto Internacional de Neurociências de Natal Edmond e Lily Safra, e publicado pela revista americana Neuron, demonstrou a eficácia de uma nova neuroprótese no tratamento da doença de Parkinson. A nova terapia, denominada estimulação epidural da medula espinhal (EEMS), é pouco invasiva, podendo, no futuro, ser realizada sem a necessidade de internação hospitalar. 
Essa característica contrasta fortemente com um método tradicional de tratamento da doença de Parkinson - a estimulação cerebral profunda (DBS) – que envolve um procedimento cirúrgico de várias horas, ao qual podem ser submetidos apenas uma pequena fração dos pacientes parkinsonianos, devido ao caráter muito invasivo desse procedimento e os riscos associados ao mesmo.

Alex RégisCientista Miguel Nicolelis é um dos que participam do estudoCientista Miguel Nicolelis é um dos que participam do estudo

Os neurobiologistas do IINNELS que lideraram o projeto publicaram os seus resultados hoje (30/10/2014), na edição on-line da revista Neuron. O projeto foi liderado pelos neuroscientistas Romulo Fuentes (IINNELS) e Miguel Nicolelis (IINNELS e Duke University) e contou também com a colaboração de Per Pettersson da Universidade Lund, na Suécia. 
Depois do estudo original dos mesmos pesquisadores, realizado em roedores e publicado pela revista Science em 2009, mais de 50 pacientes parkinsonianos em todo o mundo já se beneficiaram do uso da EEMS. Os resultados desses primeiros testes clínicos têm sido extremamente encorajadores. De acordo com Romulo Fuentes, “a EEMS foi inicialmente usada no tratamento de dor crônica que não responde a medicamentos. Como alguns desses pacientes também desenvolveram a doença de Parkinson, o uso contínuo da EEMS também se mostrou eficaz no tratamento de sintomas motores produzidos por essa doença neurodegenerativa, principalmente aqueles relacionados a marcha e a postura”. 
Apesar do sucesso inicial, nenhum estudo em animais ou pacientes havia até hoje investigado os possíveis mecanismos através dos quais a EEMM produz seu efeito terapêutico em pacientes parkinsonianos. No estudo publicado hoje, os neurocientistas do IINNELS usaram uma toxina química, chamada 6-OHDA, para induzir a degeneração de neurônios produtores de dopamina em 5 saguis. Essa lesão química reproduziu, em todos os animais, as lesões observadas no cérebro de pacientes portadores de doença de Parkinson. Como consequência, todos os saguis apresentaram sintomas motores como “congelamento de movimentos”, distúrbios de locomoção, tremores, e falta de coordenação motora. 
Para estudar os mecanismos neurofisiológicos envolvidos na doença de Parkinson induzida nesses animais, matrizes de microeletrodos foram implantadas cronicamente em múltiplas estruturas cerebrais que definem o sistema motor desses primatas. A seguir, eletrodos para estimulação foram implantados nos primeiros segmentos toráxicos da medula espinhal dos mesmos animais. Imediatamente após o início da estimulação elétrica da medula espinhal, todos animais apresentaram uma melhora significativa dos seus deficit motores. Os efeitos dessa terapia foram medidos de duas formas: a primeira, realizada de forma manual, foi executada por observadores que não sabiam se os animais estavam recebendo ou não a estimulação medular. 
Esses observadores usaram uma escala para avaliar os sinais clínicos motores expressos por cada animal. Essa escala incluiu a avaliação do grau de “congelamento motor”, grau da redução de movimentos, coordenação motora, marcha, postura e capacidade de realizar movimentos motores finos. A segunda avaliação foi feita de forma automática, através da análise computacional de registros de vídeo que gravaram a movimentação dos animais. Essa análise automática revelou que a EEMS praticamente dobrou a produção de movimentos nos saguis parkinsonianos. 
Segundo Romulo Fuentes, o nível de melhora variou de animal para animal, mas todos eles demonstraram um alívio significativo do deficit motor. "Em um desses animais, que não era capaz de realizar nenhum movimento, o uso da EEMS fez com que o macaco voltasse a se movimentar normalmente. Enquanto a EEMS perdurou, esse animal foi capaz de usar as mãos para apanhar pedaços de alimentos e deglutir normalmente", disse. 
De acordo com Nicolelis, "esses dois métodos de avaliação revelaram uma melhora signficativa na capacidade de locomoção que se assemelha aos resultados obtidos em nossos estudos com roedores e numa série de estudos em que a EEMS foi testada em pacientes parkinsonianos". 
Nicolelis também ressaltou que “os saguis tratados com a EEMS demonstraram melhora importante em sintomas motores que normalmente são difíceis de serem revertidos com o método da estimulação cerebral profunda, como por exemplo os distúrbios de postura, marcha e velocidade de movimento”. 
Ao analisar os resultados obtidos com os registros neurofisiológicos, o grupo de neurocientistas do IINNELS observou que os sinais clínicos da doença de Parkinson eram acompanhados por padrões oscilatórios patológicos da atividade elétrica neural em múltiplas estruturas do sistema motor. Essas oscilações neurais patológicas foram corrigidas com o uso da EEMS, fazendo com que o sistema motor voltasse a apresentar padrões normais de atividade neural. Em uma outra série de experimentos, observou-se que o uso da droga L-DOPA, normalmente usada no tratamento inicial da doença de Parkinson, produziu o mesmo efeito de 
eliminar as oscilações patológicas neurais do sistema motor. 
“Foi realmente surpreendente observar que a EEMS produziu efeitos muito similares aqueles induzidos pelo uso da L-DOPA”, disse Fuentes. De acordo com Nicolelis, “esses experimentos foram fundamentais para estabelecer quais são os efeitos fisiológicos da EEMS num sistema nervoso que é muito mais semelhante ao cérebro humano”. “Esses estudos em primatas vão nos permitir selecionar parâmetros de estimulação que podem gerar os melhores resultados possíveis em pacientes parkinsonianos”, acrescentou Fuentes. 


Fonte : Estudo confirma eficácia de novo tratamento para Parkinson - Tribuna do Norte

BOA TARDE AMIGOS E AMIGAS DO BLOG!!!

Tarefas

Por mais que lhe falem da tristeza... prossiga Sorrindo.

Por mais que lhe demonstrem rancor... prossiga Perdoando.
Por mais que lhe tragam decepções... prossiga Confiando.
Por mais que o ameacem de fracasso... prossiga apostando na Vitória.
Por mais que lhe apontem erros... prossiga com os seus Acertos.
Por mais que discursea miséria... prossiga crendo na Prosperidade.
Por mais que lhe mostrem destruições... prossiga na Construção.
Por mais que lhe acenem doenças... prossiga vibrando Saúde.
Por mais que exibam ignorância... prossiga exercitando sua Inteligência.
Por mais que o assustem m sobre a ingratidão...prossiga Ajudando.
Por mais que noticiem com a velhice... prossiga sentindo-se Jovem.
Por mais que plantem o mal... prossiga semeando o Bem.

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Bom dia, mas bom dia mesmo!

Bom dia, amigos e amigas
Estou correndo contra o  tempo e não tendo tempo disponível
para estar aqui. Mas com a ajuda do meu tabuleta estarei conectados com todos pelo ABP-FACEBOOK,
BOM DIA