Visualizações de página do mês passado

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Jornal da EPTV 2ª Edição - Campinas/Piracicaba - Pesquisa mostra que substância da maconha pode melhorar tratamento do mal de Parkinson | globo.tv

Fonte : Jornal da EPTV 2ª Edição - Campinas/Piracicaba - Pesquisa mostra que substância da maconha pode melhorar tratamento do mal de Parkinson | globo.tv

G1 - Estudo aponta eficácia do canabidiol em pacientes com mal de Parkinson - notícias em Ribeirão e Franca

Uma pesquisa recente sobre o uso medicinal do canabidiol (CDB) mostrou que essa substância extraída da maconha pode ser eficaz no tratamento de pacientes com mal de Parkinson.  Segundo o professor José Alexandre Crippa, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da Universidade de São Paulo (USP), um dos coordenadores do estudo, pela primeira vez, o grupo de voluntários que ingeriu cápsulas contendo canabidiol apresentou melhoras na qualidade de vida e no bem-estar.
O estudo foi publicado em outubro na revista "Journal of Psycopharmacology", da Associação Britânica de Farmacologia.
O CDB é uma substância canabinoide existente na folha da Cannabis sativa - a maconha - que, de acordo com pesquisadores, não causa efeitos psicoativos ou dependência. O elemento possui estrutura química com grande potencial terapêutico neurológico, ou seja, pode ter ação ansiolítica (que diminui a ansiedade), antipsicótica, neuroprotetora, anti-inflamatória, antiepilética e agir nos distúrbios do sono. “Queríamos ver o efeito do canabidiol nos sintomas motores, por isso realizamos um ensaio clínico com pacientes com Parkinson”, explica Crippa.
O mal de Parkinson é uma doença neurodegenerativa que provoca tremores nas extremidades do corpo. Geralmente, 50% dos pacientes desenvolvem quadros de alteração cognitiva. “A pessoa altera a memória, a atenção, sofre efeitos de alteração motora na marcha, no equilíbrio. Além disso, 80% de pacientes com a doença adquirem depressão e transtorno comportamental de sono”, diz Crippa.
Durante seis semanas, a equipe monitorou 21 pacientes com Parkinson, divididos em três grupos - o primeiro recebeu 300 mg de canabidiol ao dia, o segundo 75 mg e o terceiro placebo (sem nenhum princípio ativo). Para que não houvesse influência psicológica e sim um efeito farmacológico eficaz, nem os pacientes, nem mesmo os médicos tinham conhecimento sobre quem estava tomando qual cápsula.

BOM DIA AMIGOS DO BLOG - DIRECIONE SEU OLHAR!!!


Direcione seu olhar
Quando estiver em dificuldade e pensar em desistir, OLHE PARA TRÁS
e lembre-se dos obstáculos que já superou.

Se tropeçar e cair, levante, não fique prostrado, OLHE PARA FRENTE
e esqueça o passado.

Ao sentir-se orgulhoso por alguma realização pessoal, OLHE PARA DENTRO e sonde suas motivações. Antes que o egoísmo o domine, enquanto seu coração é sensível, OLHE PARA OS LADOS e socorra os que o cercam.

Na escalada rumo às altas posições, no afã de concretizar seus sonhos, OLHE PARA BAIXO e observe se não está pisando em alguém.

Em todos os momentos da vida, seja qual for sua atividade, OLHE PARA CIMA e busque a aprovação de DEUS!

(Charles Chaplin)

terça-feira, 21 de outubro de 2014

COMO PREVENIR ALZHEIMER E PARKINSON!!!

Na quinta-feira passada, no Rio de Janeiro, ao parar numa esquina para um típico e tradicional suco de frutas carioca, me deparei com o número 2 desta revista, numa banca de jornais. Esta capa é da número 1.

Para mim uma surpresa, pois desconhecia a existência de revista com tão ousado nome. As matérias são interessantes, embora nada que já não tenha sido abordado neste blog. No entanto, em que pese o nome ser, a meu juízo, p'rá lá de equivocado, pois infelizmente NÃO EXISTE PREVENÇÃO PARA ALZHEIMER E PARKINSON, a revista traz boas e saudáveis receitas culinárias, ou seja, a despeito do nome, é uma ótima revista culinária!

BOA TARDE AMIGOS - Autonomia nas Acões - Reflexão


AUTONOMIA DAS ACÕES
Conta um escritor que, certo dia, acompanhou um amigo até à banca de jornais onde ele costumava comprar o seu exemplar diariamente.
Ao se aproximarem do balcão, seu amigo cumprimentou amavelmente o jornaleiro e, como retorno, recebeu um tratamento rude e grosseiro.
Seu amigo pegou o jornal, que foi jogado em sua direção, sorriu, agradeceu e desejou um bom final de semana ao jornaleiro.
Quando ambos caminhavam pela rua, o escritor perguntou ao seu amigo:
Ele sempre o trata assim, com tanta grosseria?
Sim, respondeu o rapaz, infelizmente é sempre assim.
E você é sempre tão polido e amigável com ele? Perguntou novamente o escritor.
Sim, eu sou. Respondeu prontamente seu amigo.
por que você é educado, se ele é tão grosseiro e inamistoso com você?
Ora, respondeu o jovem, por que não quero que ele decida como eu devo ser.
E você, como costuma se comportar diante de pessoas rudes e deseducadas?
Importante questão esta, que nos oferece oportunidade de refletir sobre a nossa maneira de ser, nas mais variadas situações do dia-a-dia.
É comum as pessoas justificarem suas ações grosseiras com o comportamento dos outros, mas essa é uma atitude bastante imatura e incoerente.
Primeiro, porque se reprovamos nos outros a falta de educação, temos a obrigação de agir de forma diferente ou, então, somos iguais e nada temos a reclamar.
E se já temos a autonomia para nos comportar educadamente, sem nos fazer espelho de pessoas mal-humoradas deveremos ter, igualmente, a grandeza d'alma para desculpar e exemplificar a forma correta de tratar os outros.
Se o nosso comportamento, a nossa educação, dependem da forma com que somos tratados, então não temos autonomia, independência, liberdade intelectual nem moral para nos conduzir por nós mesmos.
Quando agimos com cortesia e amabilidade diante de pessoas agressivas ou deseducadas, como fez o rapaz com o jornaleiro, estaremos fazendo a nossa parte para a construção de uma sociedade mais harmoniosa e mais feliz.
O que geralmente acontece é que costumamos refletir os atos das pessoas com as quais vivemos, sem nos dar conta de que acabamos fazendo exatamente o que criticamos nos outros.
Se as pessoas nos tratam com aspereza, com grosseria ou falta de educação, estão nos mostrando o que têm para oferecer. Mas nós não precisamos agir da mesma forma, se temos uma outra face da realidade para mostrar.
Assim, lembremos sempre que, quando uma pessoa nos ofende ou maltrata, o problema é dela, mas quando nós ofendemos ou maltratamos, o problema é nosso.
Por isso, é sempre recomendável uma ação coerente avalizada pelo bom senso, ao invés de uma reação impensada que poderá trazer consigo grande soma de dissabores.
* * *
Se lhe oferecem grosseria, faça diferente: seja cortês.
Se o tratam com aspereza, responda com amabilidade.
Se lhe dão indiferença, doe atenção.
Se lhe ofertam mau humor, retribua com gentileza.
Se o tratam com rancor, responda com ternura.
Se o presenteiam com o ódio, anule-o com o amor.
Agindo assim, você será realmente grande, pois quanto mais alguém se aproxima da perfeição, menos a exige dos outros.


história de John Powell.