Visualizações de página do mês passado

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

G1 - Falta remédio para Mal de Parkinson na rede pública de Paulínia, SP - notícias em Campinas e Região

Os pacientes que sofrem de Mal de Parkinson não encontram o remédio para o tratamento na rede pública de Paulínia (SP). A doença não tem cura, afeta a coordenação motora e pode ser controlada com medicação adequada.
Segundo pacientes, o medicamento é essencial para o controle dos tremores e dos movimentos involuntários. "Já fiquei sem ele e aconteceu que eu fiquei caindo, sem equilíbrio nenhum, levando tombos", afirma a aposentada Íris Sena Castro, que sofre com a doença há 8 anos.
Ela conta que há quatro meses não consegue receber o medicamento. "Não tem justificativa. Aqui em Paulínia, eles falam que simplesmente está faltando", diz. A aposentada toma três caixas todo mês a um custo de R$ 215.
 Veja um vídeo a respeito entrando no link abaixo:
Fonte : G1 - Falta remédio para Mal de Parkinson na rede pública de Paulínia, SP - notícias em Campinas e Região

Um comentário:

Baldoino Soares Badu disse...

Isso é um tremendo absurdo, onde estão os gestores da nossa saúde, amigos começando o ano essa denunciam pode se espalhar por todo país.
Aqui nos postos de saúde em Guarulhos esta faltando AS infantil, eles fornecem metaformina que é o medicamento baratinho uso um medicamento que custa 180,00 consigo 50% desconto porque me filiei ao laboratório enquanto isso eles enchem as cuecas com nosso rico dinheirinho cada vez mais difícil de ganhar, dão risadas na nossa cara somos tachados de palhaço, depois quando gritamos nas redes sociais que estamos recebendo esmolas é vale gás, vale sei lá o que? Tudo isso é para comprar o povão que não tem acesso fácil a informação, depois vem com conversa para boi dormir, não tem dinheiro para saúde temos que voltar com o imposto do cheque, ora tem dinheiro sim para a saúde, o que falta é vergonha na cara dos nossos governantes precisamos brigar pelos nossos direitos, denunciar, fiscalizar esses fdp, desculpe o palavreado, mas isso me deixa irritado, estão brincando com nossa saúde e com nossa paciência.
Se não tem remédio entrem na justiça para conseguir, quem não chora não mama.