Visualizações de página do mês passado

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

PORQUE BEIJA-FLOR???



“POR QUE BEIJA-FLOR”?

O TEXTO A SEGUIR FOI PUBLICADO NA PRIMEIRA
REVISTA EDITADA COM O NOME  BEIJA-FLOR


   Essa pergunta é feita constantemente pelas pessoas que lêem a nossa revista pela primeira vez. Antes da revista foi editado até o número 44, no ano 1999, o Boletim Informativo.
         Há muito que vínhamos tentando escolher um símbolo para a nossa entidade. Afinal, quase todas tem um. A NPF americana (a maior de todas) escolheu uma chama olímpica, em homenagem à Muhammad Ali; a nossa co-irmã inglesa tem uma tulipa como símbolo; a holandesa adotou uma gaivota...
         Até que alguém, vendo em nossa Sede um parkinsoniano com um tremor intenso nas duas mãos, comparou aquele característico tremor à vibração das asas de um beija-flor. Estava ali, ao acaso, e naquela singela alusão, a “descoberta” do nosso símbolo, que foi adotado oficialmente, pois em alguns os nossos  folhetos já aparecia aquela belíssima ave.
         Além da “forçada” semelhança com o parkinsoniano, o beija-flor possui algumas características que o tornam admirado por todos aqueles que admiram e respeitam a natureza. Capaz de movimentar as asas de 22 a 80 vezes por segundo, pode pairar no ar, mover-se para frente e para trás, enquanto suga o néctar da flor. Possuem grande longevidade e são um dos principais veículos de influência no equilíbrio ecológico da natureza, se relacionando com a sua função de agentes polinizadores de um grande número de espécies botânicas das florestas, cerrados, campos, etc.
         A partir do ano 2.000 o Boletim evoluiu para a revista, ilustrada e colorida. Na procura para um nome para ela foi sugerido Beija-Flor, que já era o símbolo adotado pela nossa entidade.

Portanto, adotamos como símbolo, uma ave que é belíssima, e representa com alegria a primavera e uma fase de nossas vidas. Que cada um de nós tenha dentro de nossos corações, um beija-flor nos trazendo conforto e paz  permanente.’

Um comentário:

Baldoino Soares Badu disse...

É meus amigos sou suspeito para falar desse nosso querido amiguinho, é preciso ficar parado olhando embevecidas a graciosidade e beleza da sua plumagem, ele baila no ar como uma bailarina do paraíso, uma ave que existe a milhares de anos e sobreviveu a evolução da espécie, tempestades e todo tipo de braveza da mãe natureza, DEUS realmente no dia da criação da nossa casa, nosso planeta terra resolveu como um fantástico artista nos premiar com tanta beleza e doçura.
Sou apaixonado pelo nosso amiguinho, não me canso de ler tudo a seu respeito e quando recebo uma matéria como a de ontem postada no blog, fico deveras em estado de alegria, de harmonia, com todos os sentidos ligados, seria a influência desse querido amigo? Coisas que fico a pensar.