Visualizações de página do mês passado

quarta-feira, 29 de abril de 2015

BOA TARDE AMIGOS E AMIGAS DO BLOG - TEMOS PRESSA!

Temos pressa...

Se tudo é para ontem, se a vida engata uma primeira e sai em disparada, se não há mais tempo para paradas estratégicas,caímos fatalmente no vício de querer que os amores sejam igualmente resolvidos num átimo de segundo. Temos pressa para ouvir "eu te amo", não vemos a hora de que fiquem estabelecidas as regras de convívio: somos namorados, ficantes, casados, amantes?

Urgência emocional. Uma cilada. Associamos diversas palavras ao amor: paixão, romance, sexo, adrenalina, palpitação. Esquecemos, no entanto, da palavra que viabiliza esse sentimento: paciência. Amor sem paciência não vinga. Amor não pode ser mastigado e engolido com emergência, com fome desesperada. É preciso degustar cada pedacinho do amor, no que ele tem de amargo e de saboroso, no que ele tem de duro e de macio, os nervos do amor, as gorduras do amor, as proteínas do amor, as propriedades todas que ele tem. É uma refeição que pode durar uma vida. Mas não. Temos urgência.

Queremos a resposta do e-mail ainda hoje, queremos que o telefone toque sem parar, queremos que ele se apaixone assim que souber nosso nome, queremos que ela se renda logo após o primeiro beijo, e não toleraremos recusas, e não respeitaremos dúvidas, e não abriremos espaço na agenda para esperar!

Temos todo o tempo do mundo, dizem uns; não há tempo a perder, dizem outros...
A gente fica perdido no meio deste fogo cruzado, atingidos por informações; várias, vivências diversas, parece que todos sabem mais do que nós, pobres de nós, que só queremos uma coisa nessa vida, ser amados. Podemos esperar por todo o resto: emprego,dinheiro, sucesso, mas não passaremos mais um dia sequer sozinhos, te adoro, dizemos sei lá pra quem, para quem tiver ouvidos e souber responder "eu também", que a gente está mais a fim de acreditar do que de selecionar. Urgência emocional. Pronto-socorro do amor.

Atiramos para todos os lados e somos baleados por qualquer um. 
E o coração leva um monte de pontos por causa dessa tragédia: pressa.


Colaboração: Cristina

Um comentário:

Baldoino Soares Badu disse...

É preciso entender os por quê?? Muitas vezes somos massacrados com cobranças de todos os tipos, ninguém gosta de esperar, querem o imediatismo de suas cobranças, outro dia fui chamado à atenção porque cobrava atenção e respostas no nosso blog, parecia que estava falando para as paredes do meu escritório, tudo entre quatro paredes, ai alguém mais experiente comentou, não podemos e não devemos cobrara atenção de quem sofre com a Doença de Parkinson, ai parei e comecei avalizar como chegar lá, sem criar antagonismos e justificativas para aquilo que não tinha justificativas, veio à idéia de criar um grupo no Facebook, onde os amigos poderiam se sentir em casa e passassem a colocar a cara na telinha dos computadores, participando ativamente, bem o resultado acredito que todos conhecem nossa intenção não é criar um grupo restrito de amigos, mas um grupo onde todos sintam que "Estamos Todos no Mesmo Barco".
Ai notei outra coisa, quando abrimos nossos corações e falamos com sinceridade a coisa começa a acontecer.
Ultimamente tenho me cobrado muito por não estar aqui mais vezes e de maneira mais efetiva, mas tenho que remar de acordo com as necessidades prementes e urgentes do meu cotidiano, ai eu deixo de fazer o que deveria fazer, o tempo é pouco, relembro aqui alguns ditames das novelas: "A vaca vai voar; O tempo ruge e a Sapucaí é grande!"
Era o que tinha por explicar!
Boa tarde,