Visualizações de página do mês passado

domingo, 14 de abril de 2013

BOM DIA BRASIL, BOM DIA PARA A COMUNIDADE PARKINSONIANA, NOSSA FESTA NO IBIRAPUERA!!!


Uma lição de 1 milhão de dólares
Um motorista de táxi me ensinou uma lição de um milhão de dólares sobre a satisfação e expectativa do cliente. Oradores motivacionais ganham milhares de dólares para dar esse tipo de treinamento aos executivos e funcionários das grandes empresas. O meu custou-me $12 de um passeio de táxi.

Eu tinha voado para Dallas com o propósito exclusivo de encontrar um cliente. o tempo era curto e meu plano era voltar ao aeroporto o mais rápido possível. Um táxi parou. O motorista se apressou para abrir a porta de passageiro para mim e quis ter certeza de que eu estava confortavelmente sentado antes de fechar a porta. 

Quando ele entrou, disse que o jornal cuidadosamente dobrado próximo a mim era para meu proveito. Ele então me mostrou várias fitas e me perguntou que tipo de música eu preferia.

Bem! Eu dei uma olhada procurando por uma camera escondida! Não achei!
Eu não acreditava na qualidade do serviço que eu estava recebendo! Eu  aproveitei a oportunidade para dizer,
- Obviamente você se orgulha de seu trabalho.

- Pode apostar! Ele respondeu. - Eu trabalhava em uma grande empresa. Mas me cansei de pensar que o meu melhor nunca seria o suficientemente bom. Eu decidi procurar por um trabalho onde eu poderia me sentir orgulhoso de ser o melhor que eu poderia ser. 
Eu sabia que jamais seria um cientista, mas eu adoro dirigir.
Eu avaliei todos os meus recursos pessoais e... wham! 

Eu me tornei um motorista de táxi. Uma coisa que sem dúvida eu sei, para ser bom em meu negócio eu simplesmente poderia satisfazer as expectativas de meus passageiros. Mas, para ser realmente grande em meu negócio, eu tenho que exceder as expectativas do cliente!
Assim, fazendo o que sei e gosto, posso ser "acima da média".

Será que lhe dei a gorjeta justa?

2 comentários:

Baldoino Soares Badu disse...

Amigos bom dia, mas bom dia mesmo!
Acompanhei pela internet as comemorações pelo Brasil e pelo mundo afora do dia Internacional de Parkinson, em outra mensagem. afirmei que não tínhamos muito que comemorar , vejamos:

Temos 37 associações divulgados no blog das associações. http://associacoes-dp.blogspot.com.br

um blog ParkinsonBR para as associações colocarem suas necessidade e divulgar suas conquistas: http://parkinsonbr.blogspot.com.br/


- Diversos Grupos de Apoio - Grupos no Facebook e no Orkut

- Encontros de laser em Timóteo, Itaipava e Salvador

- Diversos Congressos, seis ao todo

- Chat semanal:
www.amigogamp.com.br

Nossa comunidade esta a quem de ter o que merecemos, falta medicamentos, falta apoio do poder publico, falta médicos especializados nos postos do SUS, falta medicamentos a custo accessíveis as classes menos favorecidas, em fim falta tudo, ai eu pergunto o que é preciso fazer para mostrar ao publico maior que estamos diante de uma grande e terrível batalha, temos guerreiros(as)de alto Kilate, doutores, professores, generais e comandantes que já exerceram na sua vida particular posições de destaque, mas não sei se estou exigindo muito ou se deveria ficar calado? Sei das agruras do cotidiano dos PK, nosso “escudeiro mor” Samuel Grossmann de quem aprendi muito e me orguulho do previlegio de sermos amigos, ele esta sempre me aconselhando, Badu "vamos com calma eles fazem o que podem" ai pergunto será que estamos fazendo realmente o que é preciso para não mendigar do governo mais apoio? se estamos combatendo o preconceito adequadamente?
Enfim se nossa postura é a mais adequada? São perguntas que faço preocupado e vendo as coisas acontecer.

Vejo outras comunidades saindo a nossa frente e ganhando direitos que não temos, temos a maior e mais organizada divulgação pela internet, temos amigos poderosos, mas agimos de maneira muito discreta, eu diria de maneiras humildes pelo tamanho do nosso problema, como se o que pedimos fosse algo inatingível, impossível, temos receio de que? De mostrar a cara? Por quê? Ora se queremos combater o preconceito esse sim um cancro que me deixa triste e desanimado, ver a chacota como alguns amigos são tratados, meu desabafo aqui é para que as coisas comecem a mudar e a comunidade Parkinsoniana do Brasil mostre sua força ao mundo e que nossos governantes entendam de uma vez por todas que exigimos maior respeito pela nossa classe:
No blog da ABP tem uma frase que mantive em destaque especial:

“TODOS NO MESMO BARCO”.
“Juntos somamos forças”,
Subtraímos dificuldades,
Multiplicamos conquistas,
“E dividimos experiências”.

Peço desculpas se fui agressivo, peço desculpas se estou fora da realidade, porque não sou PK, mas um cuidador que cuida de duas irmãs queridas uma com Parkinson e a outra com Alzheimer, sinto na carne as agruras do sofrimento delas, fico muito irritado quando presencio cuidadores diretos e parentes rindo das situações delicadas por que elas passam. Quando entrei nessa nossa luta, primeiro procurei conhecer o que era Parkinson e Alzheimer não sei tudo não, aprendo a cada dia vendo os depoimentos dos amigos parkinsonianos e convivendo dia a dia com o sofrimento das minhas irmãs. Aos guerreiros (as) rendo todas as homenagens e não me canso de elogiar, sou repetitivo? Ah isso ninguém vai mudar meu jeito de agir, eu cutuco, eu alerto, e vou sempre colocar o dedo na ferida mostrando as verdades verdadeiras.

Um bom domingo a todos e mais uma vez as minhas desculpas, mas isso estava entalado no gogó.

Baldoino Soares Badu disse...

Resolvi realinhar melhor meu desabafo fiz as pressas e não saiu como queria.