Visualizações de página do mês passado

segunda-feira, 2 de março de 2015

BOA TARDE AMIGOS DO BLOGUE - O CÂNTICO DA TERRA - CORA CORALINA!

Eu sou a terra, eu sou a vida.
Do meu barro primeiro veio o homem. 
De mim veio a mulher e veio o amor. 
Veio a árvore, veio a fonte.
Vem o fruto e vem a flor. Eu sou a fonte original de toda vida.
Sou o chão que se prende à tua casa. 
Sou a telha da coberta de teu lar.
A mina constante de teu poço.
Sou a espiga generosa de teu gado e certeza tranqüila ao teu esforço.
Sou a razão de tua vida. 
De mim vieste pela mão do Criador, e a mim tu voltarás no fim da lida.
Só em mim acharás descanso e Paz.
Eu sou a grande Mãe Universal. 
Tua filha, tua noiva e desposada. 
A mulher e o ventre que fecundas.
Sou a gleba, a gestação, eu sou o amor. 
A ti, ó lavrador, tudo quanto é meu. 
Teu arado, tua foice, teu machado.
O berço pequenino de teu filho. 
O algodão de tua veste e o pão de tua casa.
E um dia bem distante a mim tu voltarás.
E no canteiro materno de meu seio tranqüilo dormirás. 
Plantemos a roça.
Lavremos a gleba. 
Cuidemos do ninho, do gado e da tulha.
Fartura teremos e donos de sítio felizes seremos.
Leia mais:

Fonte http://www.mensagenscomamor.com/poemas_e_poesias_de_cora_coralina.htm#ixzz3TFhjTfMk

Um comentário:

Baldoino Soares Badu disse...

É a poetisa escreve e fala com o coração e nos brinda com coisas lindas.
Esse poema me faz voltar às reminiscências dos meus antepassados paternos, pessoas simples da terra, “os Amaral” uma família honrada cheias de grandes personagens que passaram por nossas vidas e que deixaram marcas. Seu Zé Baldoino, o Badu foi o patrono maior a quem rendo minhas homenagens.
Que Deus o ilumine seus caminhos por onde quer que esteja, mas sei que ele esta sempre comigo.