Visualizações de página do mês passado

quinta-feira, 30 de junho de 2011

CHRIS NOTH APOIA CAMPANHA CONTRA DIABETES



Lembra do Mr. Big, o tão desejado bofe da Carrie (Sarah Jessica Parker), em Sex and the City? Pois bem, o ator Chris Noth, que deu vida ao personagem, está engajado em uma campanha de conscientização de diabetes.

Noth  é o novo rosto da campanha Ask.Screen.Know, para incentivar as pessoas a fazerem exames e reeducar seu estilo de vida, prezando por uma uma alimentação saudável e mais exercícios físicos.

Quando questionado sobre o papel que as celebridades desempenham na disseminação de campanhas desse tipo, Noth foi rápido em dizer que ele está lá para "despertar a curiosidade das pessoas". O ator mencionou que um rosto familiar atrai com mais facilidade a atenção das pessoas. "Eu não sou médico, as pessoas me conhecem de 'Sex and the City' e 'Law & Order'. Se eu conseguir a atenção deles, então que assim seja", diz Noth.

Vários atores, estrelas do esporte, cantores e personalidades da televisão já foram porta-vozes de campanhas sérias de saúde.

Michael J. Fox tornou-se praticamente sinônimo de doença de Parkinson, doança com a qual foi diagnosticado em 1991 e inclusive fundando uma fundação de pesquisa dedicada à doença em 2000. Magic Johnson também esteve à frente de uma campanha de HIV/AIDS, Lance Armstrong de câncer, Brooke Shields de depressão pós-parto e Montel Williams de esclerose múltipla, todos promovendo a conscientização e pesquisas das doenças que eles próprios sofrem ou sofreram. Outros, incluindo Chris Noth, têm sido atraídos para estas causas por familiares ou amigos.

As informações são do The Huffington Post. 

CIENTISTAS CRIAM MÉTODO QUE RETARDA ALZHEIMER E INFECÇÃO POR VIH


Um novo avanço dos bioquímicos da University of California, em Los Angeles, nos EUA, aproximou cientistas de tratamentos que podem retardar o aparecimento da doença de Alzheimer e impedir a transmissão sexual do VIH, avança o portal ISaúde.

Os investigadores relataram ter projectado inibidores moleculares que atacam proteínas específicas associadas com Alzheimer e VIH para evitar que elas formassem as fibras amilóides – cadeias de proteínas alongadas interligadas que desempenham um papel fundamental em mais 20 doenças neurodegenerativas.

"Ao estudar as estruturas de duas proteínas-chave que formam amilóides, fomos capazes de identificar a pequena cadeia de aminoácidos responsável pela formação da fibra amilóide e projectar uma 'capa' molecular que se liga à terminação das fibras para inibir o crescimento", disse o químico David Eisenberg.
As fibras são encontradas não apenas na doença de Alzheimer, mas em várias enfermidades, incluindo a doença de Lou Gehrig, Parkinson, diabetes tipo 2 e vários distúrbios relacionados à doença das vacas loucas, entre outros. Na doença de Alzheimer e outras condições neurodegenerativas, a proteína tau forma fibras amilóides dentro das células cerebrais, destruindo-as.

Hoje, há 5 milhões de doentes nos EUA que sofrem de Alzheimer, com 500 mil novos casos por ano. O custo dos cuidados de saúde só este ano foram estimados em 178 mil milhões de dólares, incluindo o valor do cuidado não remunerado para os doentes de Alzheimer fornecido pelos quase 10 milhões de familiares e amigos.

"Até o ano de 2050, prevê-se que haverá 19 milhões de pacientes com Alzheimer. O tratamento de tantos pacientes com esta doença debilitante pode ser uma fracção substancial do produto interno bruto dos EUA", disse Eisenberg. Ele e a sua equipe descobriram que a proteína tau inteira foi responsável pela formação de fibras amilóides. Ao estudar a estrutura das fibras usando a microcristalografia, método desenvolvido para esta pesquisa, a equipe pôde usar as fibras como um modelo para projectar um inibidor que capaz de envolvê-las e interromper o crescimento.

A introdução do inibidor em uma solução de proteína tau impediu completamente a formação de fibras amilóides, validando a ideia de que projectar fármacos baseados nesta estrutura para doenças amilóides é uma opção plausível.

Apesar deste êxito, segundo Eisenberg ainda há um longo caminho antes que uma terapia seja desenvolvida para combater o aparecimento da doença de Alzheimer em pacientes humanos. O inibidor, uma cadeia de aminoácidos, é demasiado grande para penetrar profundamente no cérebro, onde as proteínas tau formam as fibras amilóides. "Esta pesquisa é um passo importante para identificar moléculas menores que possam ser utilizadas para desenvolver um terapêutico. Nosso objectivo é retardar o aparecimento da doença de Alzheimer", diz Eisenberg.

Prevenção da transmissão do VIH

Ao contrário da proteína tau, a proteína SEVI (potencializadora de infecção viral derivada do sémen) é um alvo muito mais acessível para um bloqueador molecular porque constrói fibras amilóides em um ambiente vaginal, um processo fundamental na transmissão sexual do VIH.

"A presença de SEVI torna a possibilidade de infecção pelo VIH por transmissão sexual até 100.000 vezes maior. Ao bloquear a SEVI, teremos um método para inibir a transmissão sexual do VIH", diz Eisenberg.

Embora as proteínas tau e SEVI tenham diferentes estruturas e funções independentes, elas formam fibras amilóides com morfologias semelhantes, sendo possível, na visão de Eisenberg, projectar dois inibidores distintos utilizando o mesmo processo.

O bloqueador de SEVI provou ser igualmente eficaz na prevenção do crescimento de fibra, reforçando a ideia de que os bloqueadores podem ser projectados para outras doenças associadas com fibras amilóides também. "Nossa esperança é podermos fazer um bloqueador que pode ser aplicado com um gel vaginal ou spray para prevenir a infecção pelo VIH", diz Eisenberg.

Os inibidores de tau e da proteína SEVI foram projectados utilizando aminoácidos sintéticos, semelhantes aos blocos de construção de proteína padrão do corpo humano. Mas estes aminoácidos sintéticos eram espelhados ou tinham cadeias laterais adicionais que normalmente não são encontradas na natureza. As enzimas do corpo humano, programadas para quebrar correntes parecidas com as de proteínas, são inicialmente incapazes de reconhecer os aminoácidos não-naturais, mantendo os bloqueadores seguros para travar as proteínas-alvo.

Uma segunda equipe de pesquisadores também liderada por Eisenberg anunciou recentemente que tinha identificado quatro pequenas moléculas que se ligam às fibras amilóides, incluindo uma candidata promissora chamada de "orange-G", que força a entrada na fibra e que pode ser capaz de quebrá-la.

"Estas são as primeiras moléculas pequenas visualizadas enquanto ligavam-se a fibras parecidas com as amilóides. Estas pequenas moléculas são menos propensas a serem quebradas no corpo e podem, possivelmente, serem modificadas para separar as fibras amilóides ou servir como ferramentas de diagnóstico para identificar as áreas infectadas do corpo", explica Eisenberg.

A equipe de Eisenberg descobriu que a orange-G foi capaz de perfurar os impenetráveis "zíperes estéricos" que selam as fibras amilóides à prova de água da proteína beta-amilóide. "O próximo passo é fabricar moléculas práticas que inibam e quebrem as fibras amilóides, que é o objectivo final," revela.

MEDICINA CHINESA TENTA CURAR O MAL DE PARKINSON


Por mais de dois mil anos os médicos chineses têm tratado "tremores" - agora conhecida como doença de Parkinson -, com gou teng, uma erva cujo os ramos assemelham-se a ganchos.

No início deste ano, 115 pessoas com Parkinson foram medicados com uma combinação de ervas medicinais da tradicional medicina chinesa , incluindo gou teng, ou um placebo durante 13 semanas. No final do estudo, voluntários que tinham tomado as ervas dormiram melhor e tiveram uma melhora geral acentuada em relação aqueles que tomaram o placebo.

Gou Teng parece estabilizar os sintomas, diz Li Min, um médico tradicional chinês em Hong Kong da Baptist University. Agora, Li e seus colegas descobriram como ele poderia funcionar.

Sintomas de Parkinson, como tremores musculares, lentidão de movimentos e rigidez, são causadas pela destruição progressiva das células cerebrais que produzem a dopamina. Trabalho anterior sugeriu que a abundância de uma proteína chamada alfa-sinucleína pode ser o culpado. Os tratamentos atuais visam aumentar os níveis de dopamina, que alivia os sintomas apenas parcialmente e não afeta os aglomerados de proteínas.

Pensa-se que pedaços de alfa-sinucleína acumula-se porque as células do cérebro não pode removê-los através de autofagia - uma espécie de morte celular programada.Camundongos sem os genes necessários para a autofagia rapidamente desenvolvem Parkinson - como sintomas.

De acordo com Li, a autofagia é o único processo conhecido para se livrar de proteínas anormais dentro das células. "Reforçar este caminho pode ser chave para o tratamento de Parkinson", diz ela.
Equipe de Li selecionou o gou teng e estudou seus compostos ativos, e testados estes compostos aumentaram a taxa de autofagia e removeram alfa-sinucleína.

Mais testes descobriram que isorhy presente na erva ativa a autofagia através de uma via diferente e não afeta o sistema imunológico da mesma maneira que alguns medicamentos atuais. Li, que recentemente apresentou seus resultados no Simpósio Keystone de Biologia Molecular e Celular, em Whistler, British Columbia, no Canadá, vai começar os testes em roedores com Isorhy ainda este ano.

A FORÇA DO PENSAMENTO CONCENTRADO

NEUROLOGISTA EXPLICA COMO RECONHECER SINTOMAS DO PARKINSON

Em entrevista à Folha, o neurologista Henrique Ballalai Ferraz explicou as dificuldades em reconhecer os sintomas da doença de Parkinson. Como outros problemas de saúde, um diagnóstico preciso em estágios iniciais é determinante para o sucesso do tratamento.

Escrito pelo médico, "Doença de Parkinson: Guia Prático para o Diagnóstico e o Tratamento da Doença de Parkinson" (Editora Omnifarma) foi lançado durante o Congresso Paulista de Neurologia -ocorrido no Guarujá (litoral paulista) entre os dias 23 e 25 deste mês- e será distribuído gratuitamente para neurologistas.

"Os sintomas iniciais que fazem pressupor uma possibilidade de Parkinson é tremor, que pode afetar apenas um lado do corpo, enrijecimento da musculatura e lentidão de movimentos. Esses três sinais são bem comuns na fase inicial", diz Ballalai.

Henrique Ballalai Ferraz é membro da Academia Brasileira de Neurologia (ABN) e chefe do setor de transtornos do movimento da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).

BOM DIA, HOJE É DIA DE CHAT DA APPP!!!



todos nós estamos nisso juntos

Uma vez que nós sabemos
Que nós somos
Todos estrelas

E nós vimos isso
Todos nós estamos nisso juntos

E isso mostra
Que quando nós ficamos
Em conjunto

Nossos sonhos tornam-se reais







quarta-feira, 29 de junho de 2011

HB fará quatro cirurgias gratuitas por mês para tratar mal de Parkinson

Primeira operação foi realizada nesta terça-feira
28/06/2011 - A equipe de neurologia do Hospital de Base de Rio Preto vai fazer quatro cirurgias gratuitas por mês para controle de mal de Parkinson.

A técnica usada foi desenvolvida na França e aprimorada com equipamentos alemães. O procedimento consiste em ativar com dois eletrodos nas áreas do cérebro atingidas pela doença e, com isso, reorganizar a transmissão cerebral, diminuindo a progressão da doença que é degenerativa. (segue...) Fonte: Rede Bom Dia.

terça-feira, 28 de junho de 2011

Remédios incompatíveis: veja os riscos da combinação de medicamentos

O toxicologista Anthony Wong apresenta os riscos que as combinações de determinados remédios trazem à saúde. Confira!
Roberta Figueira
Conteúdo do site VIVA!MAIS
risco


Antes de tomar qualquer remédio, consulte um médico!
Anticoncepcional + fitoterápico
A mistura diminui em até 60% o efeito do contraceptivo mesmo que você esteja tomando a pílula da forma correta. (...) segue


Fonte : Revista mdmulher Saúde

Ministério Público investiga falta de remédio contra AVC em Goiás

Medicamento pode reduzir em até 30% os riscos de sequelas


Agência Estado


A falta de medicamentos adequados para tratamento de AVC (Acidente Vascular Cerebral) no SUS (Sistema Único de Saúde), em Goiás, é investigada pelo Ministério Público Federal no Estado (MPF-GO).


O procurador regional dos Direitos do Cidadão, Ailton Benedito, instaurou inquérito civil público. Ele quer apurar a oferta e disponibilidade da medicação. Com a administração correta, o Alteplase poderia reduzir em até 30% os riscos de sequelas. Administrado nas quatro primeiras horas após o AVC, o medicamento poderia ser uma chance a mais de uma vida normal para os pacientes.


Nos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Santa Catarina, Rio de Janeiro, Bahia e Sergipe a medicação já é fornecida, mas o mesmo não ocorre na rede pública de saúde em Goiás.


O MPF solicitou à Secretaria de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde informações atualizadas sobre a assistência a pacientes com AVC e sobre a oferta e disponibilidade do Alteplase na rede SUS em Goiás. O prazo dado foi de 10 dias. (...) segue


Fonte : R7 - Notícias Saúde

BOM DIA, MAS BOM DIA MESMO!!!





E se Deus não pudesse gastar tempo nos abençoando hoje porque não pudemos gastar tempo agradecendo-Lhe pelo ontem? E se Deus decidisse parar de nos dar amanhãs porque não fizemos Sua vontade hoje?

E se nunca víssemos outra flor se abrir porque reclamamos quando Deus enviou a chuva? E se Deus não caminhasse conosco hoje porque deixamos de reconhecê-Lo?

E se Deus retirasse Sua mensagem porque deixamos de ouvir o Seu mensageiro? E se Deus deixasse de nos amar e se importar conosco porque deixamos de amar e nos importar com os outros?

E se Deus não nos ouvisse hoje porque não quisemos ouvi-Lo ontem? E se Deus atendesse as nossas dificuldades da mesma maneira como atendemos as necessidades de nossos irmãos?


Hospital de Base vai fazer cirurgia contra mal de Parkinson pelo SUS

HB é o primeiro lugar do interior paulista a oferecer operação, que pode chegar a R$ 110 mil em locais privados, de forma gratuita
Nany Fadil / Agência BOM DIA
27/06/2011 - A equipe de neurocirurgiões do Hospital de Base de Rio Preto vai passar a fazer cirurgia contra o mal de Parkinson, de graça. O hospital é o primeiro do interior paulista a ser credenciado pelo SUS para realizar o procedimento. Particular, a cirurgia custa entre R$ 60 mil e R$ 110 mil, segundo a Associação Brasil Parkinson
Técnica
O procedimento consiste em implantar eletrodos nos dois lados do cérebro, controlados por uma espécie de marcapasso. Os aparelhos são responsáveis por promover uma estimulação cerebral constante e com isso controlar os sintomas da doença. Atuam sobre o tremor, a rigidez muscular e a dificuldade de movimentação.

“Não existe cura. Mas há uma melhora sensível na qualidade de vida do paciente”, diz o neurocirurgião.
Leia na íntegra na Fonte: Rede Bom Dia.

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Minha vida com Parkinson,

Por Tina Walker, diagnosticada com a doença em 2003 aos 43 anos.

"Quando eu trabalhava como terapeuta ocupacional, sem ter o diagnóstico de `Parkinson ainda, o que realmente me preocupava em relação às pessoas com Parkinson era o horário da medicação. Freqüentemente  leva-se algum tempo para se estabelecer o tratamento medicamentoso mais apropriado para cada um, e  mesmo assim  esse tratamento permanece adequado por um algum  tempo , já que se trata de uma doença variável devido a sua  progressão
Ao longo do tempo a pessoa com Parkinson pode experenciar maiores períodos em que o efeito do remédio que  acabou de ser tomado , simplesmente acabar  antes que a  próxima dose  possa ser tomada. . Movimentos involuntários podem aparecer e também momentos em que a pessoa sente-se bem e que pode se locomover e nos minutos seguintes sentir-se quase imóvel, sem capacidade nenhuma de se movimentar.
Num dia indivíduo é capaz de sair de casa e realizar as suas atividades do dia-a-dia e no próximo dia ele se sente nada mais do que “congelado”.
A questão do medicamento obviamente afeta o meu trabalho como terapeuta ocupacional e o quanto eficiente eu poderia ser.  Porém eu descobri o seguinte, se a pessoa tomou uma dose do remédio atrasada ou se esqueceu - de tomar a dose anterior, nenhuma intervenção terapêutica será suficiente para melhorar a condição daquele indivíduo. Como eu tenho Parkinson, essa condição serviu para reforçar, para mim mesma, a importância de tomar a medicação nos horários corretos. Mais ou menos uma hora antes do efeito do remédio terminar eu começo a ficar com alguns tremores difíceis de controlar e se eu tomo uma dose mais tarde, fora do horário, às atividades rotineiras se tornam muito difíceis de realizar."

  

Células-tronco abrem novos caminhos na esclerose lateral amiotrófica


Há alguns dias tivemos o Congresso Internacional de células-tronco (ISSCR- International Society for stem-cell research)  em Toronto, um evento que atrai um número cada vez maior de participantes. Dessa vez, foram mais de 3600 pessoas de 50 países e o Brasil estava muito bem representado. Trata-se de um congresso focado mais para a pesquisa básica, mas cujos resultados são fundamentais para aplicação em terapia celular:  “from bench to bedside” -  “da bancada para o leito” ou do laboratório para a clínica. Vou falar mais a respeito nas próximas colunas.


O Centro do Genoma da USP  levou nove trabalhos e após sair do Brasil ficamos sabendo que um deles do recém doutor Miguel Mitne-Neto, acaba de ser publicado na  revista Human Molecular Genetics: Downregulation of VAPB expression in motor neurons derived from induced pluripotent stem-cells of ALS8 patients”.


A pesquisa que é o resultado de muitos anos de trabalho do grupo do Centro do Genoma da USP começou com o mapeamento e identificação do gene que causa uma forma hereditária de esclerose lateral amiotrófica (ELA8 ou ALS8 em inglês) por minha aluna de doutorado, Agnes Nishimura,  que agora faz seu pós-doutorado no Reino Unido.  Mais recentemente tivemos a colaboração preciosa do Dr. Alysson Muotri, um brasileiro que dirige hoje o Muotri lab na Universidade da California, onde Miguel estagiou por 12 meses. A pesquisa traz resultados inovadores em relação a ELA8 que poderá abrir novas portas para o tratamento dessa doença devastadora. Para falar mais disso entrevistei o Dr. Miguel Mitne-Neto que é o primeiro autor dessa pesquisa.(...) segue


Fonte : Revista Veja - Mayana Zatz Genética

Petiçao de Parkinson Global

Assine a petição. Clique aqui.

FESTA JULINA DA ABP - 02 DE JULHO A PARTIR DAS 14HS

PARA AMPLIAR A IMAGEM BASTA CLICAR EM CIMA

BOM DIA! FELIZ INICIO DE SEMANA!!!

Grupos de defesa dos animais querem boicote a fundações de apoio a pesquisas médicas na Inglaterra

Grupos de defesa dos animais querem boicote a fundações de apoio a pesquisas médicas na Inglaterra / Leia no Jornal Extra.

27 de junho de 2011 | ... Fundador do Facebook, Mark Zuckerberg: "Um esquilo que morre no seu jardim tem mais relevância para você atualmente do que gente morrendo na África"... ou de Parkinson, eu diria... Leia => O casulo invisível / Lúcia Guimarães - O Estado de S.Paulo.

domingo, 26 de junho de 2011

SEGUNDA-FEIRA É DIA DO CHAT DO AMIGOGAMP







Apartir das 20:30 hs


NOSSO BATE-PAPO AMIGO E FRATERNO

TEMA LIVRE

Samuel, Badu e demais amigos(as) esperam por você

PARA PARTICIPAR

brincar de viver

Queria ter me preocupado menos, com problemas pequenos

BOM DIA ,MAS BOM DIA MESMO!!!

NÃO BASTA ENTRAR NOS BLOGS É PRECISO PARTICIPAR

Estamos nessa batalha muita coisa de bom já aconteceu, mas para ganhar a guerra é preciso estar todos juntos, trabalhando e participando.

Estamos esperando por você autores dos blogs. Aqueles que gostariam de participar basta solicitar aos administradores eles vão ter um prazer enorme em dar sua autorização.

Nossa gama de sites, blogs e comunidades de relacionamentos (Facebook, Twitter e Orkut) é muito grande seus idealizadores gostariam de ver seus trabalhos e esforços reconhecidos e para isso gostaríamos de ter sua opinião a respeito do que é publicado, é muito fácil entrar e colocar seu comentário basta um simples OI ou um... não concordo acho que... Enfim é preciso estar presente.

Tire suas duvidas, mostre suas experiências é ajudando que você será ajudado (a).

A roda da informação gira nossa família cada vez mais unida e nossa amizade mais bonita, todos tiram proveito.                                                                                                 


sexta-feira, 24 de junho de 2011

TENHAM TODOS UM ÓTIMO FINAL DE SEMANA

Para viver, é preciso deixar viver.
Os pacíficos não só vivem, reinam.
É preciso ouvir, ver e calar.
Um dia sem discussão garante uma boa noite de sono.
Viver muito e com gosto é viver por dois: é o fruto da paz.
Quem não se preocupa com aquilo que não importa tem tudo.
Não há erro maior que levar tudo a sério.
Também é tolice ter o coração atormentado por um assunto
que não lhe diz respeito e que nem sequer toca a quem lhe importa.

Do livro A Arte da Prudência, de Baltasar Gracián, 2003

APLICATIVO DO IPHONE AJUDA A MONITORAR MAL DE PARKINSON


Programa monitora tremores das mãos e acompanha progressão da doença

Pesquisadores americanos desenvolveram um aplicativo para o iPhone que ajuda as pessoas que vivem com mal de Parkinson e outras doenças neurológicas a acompanharem a evolução do problema.

O aplicativo, criado no Instituto de Pesquisa Tecnológica da Georgia, coleta informações sobre os tremores as mãos e dos braços do paciente e envia os dados para o médico de cada pessoa.

O programa, chamado iTrem, utiliza um medidor de aceleração do iPhone para coletar dados sobre o paciente tanto em casa como no trabalho. O aplicativo rastreia os tremores, que são processados e transmitidos. Com isso, os médicos poderão avaliar a progressão da incapacidade das pessoas e sua relação com os medicamentos que o paciente toma.

Para Brian Parise, um dos principais autores do estudo, a expectativa é que o iTrem seja uma ferramenta útil para pacientes e cuidadores.

- E como poderá ser adquirido por meio de download, isso promete ser conveniente e de baixo custo.

Os cientistas acreditam que o iTrem poderá substituir testes subjetivos que são usados atualmente e vai permitir um acompanhamento mais frequente do paciente sem a necessidade de uma visita ao médico.

O programa poderá chegar ainda neste ano aos consumidores. Antes, no entanto, ele vai passar por testes clínicos na Universidade de Emory para, em seguida, receber a aprovação da FDA (agência americana que regula o mercador de medicamentos e alimentos nos Estados Unidos).

AUTOR LANÇARÁ LIVRO EM CONGRESSO DE NEUROLOGIA



O neurologista Henrique Ballalai Ferraz, que participa do Congresso Paulista de Neurologia, lançará "Doença de Parkinson: Guia Prático para o Diagnóstico e o Tratamento da Doença de Parkinson" amanhã (24), às 14h, no centro de convenções do hotel Sofitel Jequitimar, em Guarujá (SP). O encontro, que teve início hoje (23) e permanece até sábado (25), acontece no mesmo local.

Membro titular da Academia Brasileira de Neurologia (ABN) e chefe do setor de transtornos do movimento da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), Ballalai é autor de "Guia de Neurologia" e "Doença de Parkinson: Prática Clínica e Terapêutica".

O novo livro se fundamenta em discussões científicas e procura auxiliar médicos no tratamento da doença e nos cuidados necessários ao paciente, com informações de rápido acesso para consulta na rotina diária dos consultórios e ambulatórios.

PESQUISADORES CRIAM BANCO DE CÉLULAS DE PACIENTES COM MAL DE PARKINSON

Fonte: Portal G1


Pesquisadores em Oxford, na Grã-Bretanha, criaram um banco de células cerebrais geradas artificialmente a partir do material genético de pacientes que sofrem do mal de Parkinson.

A BBC apurou que os pesquisadores estão usando uma nova técnica, que lhes permite transformar um pequeno pedaço de pele do paciente em um pequeno pedaço de cérebro.

É a primeira vez que esse procedimento é feito em um estudo de larga escala, cujo objetivo é encontrar possíveis curas para o mal de Parkinson.

Os estudiosos afirmam que, com os avanços, eles devem conseguir analisar as células nervosas dos pacientes à medida que elas começam a se deteriorar.

A primeira leva de celular nervosas foi criada a partir de células de Derek Underwood, 56 anos, morador do condado de Oxfordshire.

Underwood, que teve de se aposentar precocemente por causa do avanço do mal de Parkinson, será o primeiro dos 50 pacientes cujas células, retiradas da pele, serão usadas para criar células cerebrais, como parte do estudo de cinco anos de duração.

Segundo Richard Wade Martins, da Universidade de Oxford, líder da pesquisa, a meta é criar um "banco cerebral", que permita que os cientistas estudem a evolução da doença com detalhes nunca vistos.

"O cérebro é um órgão inacessível, não podemos tirar partes deles para estudá-los", disse Wade Martins. "(Com o novo banco) teremos células que serão iguais às do cérebro de Derek (Underwood), porém acessíveis e possíveis de serem produzidas em quantidade ilimitada".


Laboratório

O primeiro passo, segundo a médica Michelle Hu, do Hospital John Radcliffe, em Oxford, será comparar as células tiradas dos pacientes com outras tiradas de voluntários saudáveis. Assim, será possível notar suas diferenças.

"Pela primeira vez, podemos olhar para as células antes que elas se deteriorem e observar suas mudanças iniciais", ela explicou.

"Podemos observar quais processos celulares estão causando a morte das células e entender o porquê de elas adoecerem. E queremos saber se há tratamentos que possam reverter esse processo e ajudar os pacientes a reconquistar suas funções normais".

Trata-se do primeiro estudo clínico de larga escala a usar a técnica desenvolvida por cientistas japoneses há três anos, chamada de "célula-tronco pluripotente induzida" (IPS, na sigla em inglês).

Genes são inseridos nas células de pele, reprogramando-as para se converterem nas células cerebrais.

A técnica IPS é semelhante à de células-tronco embrionárias. Mas a IPS não resulta na criação de um embrião - despertando, dessa forma, menos questionamentos no âmbito ético.

MIGUEL NICOLELIS PRETENDE LANÇAR LIVRO PELO TWITTER


O neurocientista brasileiro Miguel Nicolelis, pesquisador conceituado com trabalhos nas áreas dos males de Parkinson e Alzheimer, além de ser um visionário da ciência está, agora, prestes a revolucionar o mundo dos lançamentos literários. Autor de Muito Além do Nosso Eu (Companhia das Letras, 2011), Nicolelis propôs aos seus mais de oito mil seguidores no Twitter, na tarde desta quinta-feira (23), a ideia de um lançamento online do seu livro na rede social.

"Quem gostaria de participar de um lançamento do Muito Além do Nosso Eu pelo tweeter? Eu acho que seria d+, falar e interagir com Todo BR!", postou o cientista, que também explicou como funcionaria o processo: "A ideia é a seguinte: você compra o livro pela internet, manda comprovante para site e eu remeto uma dedicatória por tweet e pela twitcam!". Nicolelis não deixou claro, contudo, se o evento vai ocorrer em uma data específica ou ao longo dos contatos feitos pelos leitores.

Com lançamento marcado para o próximo dia 4 de julho às 19h, no Teatro Alberto Maranhão, Muito Além do Nosso Eu explica  como o cérebro cria o pensamento e a noção que o ser humano tem de si mesmo (o seu self) - e como isso pode ser incrementado com o auxílio de máquinas. Em linhas gerais, a obra faz com que os leitores passem a imaginar como possível um mundo onde  as pessoas usam computador, dirigem seus carros e se comunicam entre si através do pensamento. Um mundo em que os paraplégicos podem voltar a andar e em que os males de Parkinson e Alzheimer são controlados.

Apesar de soar como enredo de ficção científica, tal realidade se torna possível por meio dos enormes passos que a ciência vem dando para a criação das interfaces cérebro-máquina. O autor mostra como a tecnologia será capaz de transformar a sociedade humana e moldar uma nova "indústria do cérebro", um empreendimento global com potencial de geração de trilhões de dólares.

Com informações da Companhia das Letras

Dr. Antonio Sproesser recebe Leão Lobo e fala sobre aneurisma cerebral

E aí, Doutor? revela os mistérios por trás do aneurisma nesta sexta-feira (24)


Publicado em 24/06/2011, às 18h52
O aneurisma é um mal silencioso que pode matar e afetar o cérebro de qualquer pessoa. Essa doença atinge mais mulheres que homens e 2% da população mundial sofre desse mal. Com a ajuda do convidado Leão Lobo, o dr. Antonio Sproesser explica como o aneurisma se forma no cérebro humano. 

Dieta radical reverte diabetes tipo 2 em pacientes


DA BBC BRASIL

Um estudo publicado em uma revista científica no Reino Unido sustenta que uma dieta radical de 600 calorias por dia, durante oito semanas, pode reverter diabetes tipo 2 em pessoas recém-diagnosticadas com a doença.


O artigo dos pesquisadores da universidade de Newcastle, publicado na revista científica "Diabetologia", indicou que a dieta reduziu os níveis de gordura no fígado e no pâncreas de 11 pacientes estudados, ajudando os níveis de insulina a voltar ao normal.
SPL
Das 11 pessoas diagnosticadas com diabetes tipo 2, sete ficaram livres da doença após participarem da pesquisa
Das 11 pessoas diagnosticadas com diabetes tipo 2, sete ficaram livres da doença após participarem da pesquisa
Todos os 11 haviam sido diagnosticados com diabetes tipo 2 até quatro anos antes. Três meses após o tratamento, sete estavam livres da doença. O nível de produção de insulina se manteve estável mesmo após a volta à alimentação normal.
Os pesquisadores disseram que é preciso continuar os estudos para verificar se o efeito é permanente.


O diretor do Centro de Ressonância Magnética da Universidade de Newcastle, Roy Taylor, disse que não recomenda a dieta e que o experimento teve como única finalidade observar efeitos científicos. (...) segue


Fonte : Folha.com
http://www1.folha.uol.com.br/bbc/934397-dieta-radical-reverte-diabetes-tipo-2-em-pacientes.shtml

ONU aponta alto consumo de remédios no Brasil


Um dos mais usados é o analgésico, que pode causar dependência

Mariana Londres, do R7, em Brasília

O Relatório Mundial sobre Drogas da ONU, divulgado nesta quinta-feira (23), aponta um alto consumo de medicamentos no Brasil, com destaque para os analgésicos, que podem causar dependência. O documento do UNODC (Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime, na sigla em inglês) mostra que o país está ao lado de Costa Rica e Chile como os que mais usam essas substâncias na América Latina e Caribe.


De acordo com o estudo, foi detectada alta concentração de uso não médico de opioides (analgésicos) de prescrição na Costa Rica, Brasil e Chile. Os mais comuns são a base de codeína, usada no tratamento de dores muito fortes, especialmente após cirurgias. Seu uso abusivo, no entanto, pode levar à dependência química.Em toda a América do Sul estima-se que entre 0,3% e 0,4% da população adulta (ou quase um milhão de pessoas entre 15 e 64 anos) faça uso de opiodes, incluindo o uso irregular de medicamentos.

Já o uso irregular de remédios para emagrecer, a base de anfetaminas, se manteve estável nos países da América Latina e em patamar próximo da média mundial. A ONU estima que entre 0,5% e 0,7% da população entre 15 e 64 anos (entre 1,34 milhão e 1,89 milhão de pessoas) faça uso desses medicamentos na América Latina. Esses produtos são legalmente prescritos como anoréxicos e para o tratamento de Transtorno de Déficit de Atenção. (...) segue

DEPOIMENTO DA NELLY PRADO



PARA AMPLIAR A IMAGEM BASTA CLICAR EM CIMA